Shop

Exibindo um único resultado

A HISTÓRIA DO MMA

O mix das artes marciais tem se popularizado pelo mundo. Mas, qual é sua origem? Quem desenvolveu essa arte?

Os moldes atuais do MMA que assistimos hoje, é de origem brasileira. Na década de 30, quando Hélio Gracie, o criador do jiu jitsu brasileiro, peregrinava pelo país mostrando a todos a eficiência dos golpes aplicados com a técnica do jiu, lutadores de outras modalidades se opunham a ele para tentar provar o contrário. Artigo sobre essa trajetória. Com tantos lutadores de diversas modalidades abatidos pelo mestre do brazilian jiu jitsu, esse mix de luta que se formava para enfrentar Hélio foi tomando outra proporção, e assim disseminando uma nova modalidade, o MMA – Mix Martial Arts (ates marciais mistas), que na época as regras quase não impunham limites e os confrontos colocavam em risco a vida dos lutadores.

No ano de 1993 nos Estados Unidos surgi a primeira organização de torneio de MMA, mais conhecida como UFC – Ultimate Fight Champions, que hoje movimenta mais de 1 bilhão de dólares. Depois surgiram outras organizações, como o extinto StrikeForce e o Pride no Japão.

Apesar de todo o sucesso que esses eventos tinham, e ainda tem, no ano 2000 o Ultimate não conseguia se manter rentável e quase abriu falência. Porém no ano seguinte a marca UFC foi comprada pela Zuffa, empresa dos irmãos Frank e Lorenzo Fertita e presidida por Dana White. Os irmãos pagaram apenas 2 milhões de dólares pela marca.

Com o UFC sob nova direção, foram aplicadas novas regras que visaram a integridade física dos atletas e desde então o esporte tem crescido muito e formado muitos ídolos pelo mundo. E no Brasil? Como estamos diante dessa evolução, já que foi daqui que a coisa foi tomando forma? O Brasil é tido como um dos principais celeiros de atletas do MMA, e cada vez mais os brasileiros tem dominado as categorias desse esporte. Atualmente são 3 brasileiros dentre os 8 que defendem seus cinturões no masculino, sendo José Aldo, Rafael dos Anjos e Werdum. Achou pouco? Então vamos mais além! Em todas as categorias do UFC tanto no masculino quanto no feminino, temos pelo menos um brazuca entre os 8 melhores de seus respectivos pesos. Com tudo, respondendo a todas as perguntas anteriores, o MMA teve uma mão amiga de cada modalidade de luta e um empurrão brasileiro para se consagrar entre um dos esportes que mais tem crescido nos últimos anos.

A HISTÓRIA DO JIU-JITSU

A história do Jiu-Jitsu é longa, afinal essa é uma arte marcial milenar, mais conhecida como a arte suave.

Uma das teorias sobre sua origem  é que o Jiu-Jitsu surgiu na Índia através de monges budistas.

Outra vertente é que teria sido criada na China, entre os séculos III e IV e, em seguida, chegado ao Japão através da expansão do budismo.

No entanto, a versão mais aceita e difundida é que o Jiu-Jitsu foi foi desenvolvido no Japão há mais de 3600 anos, e suas técnicas foram aprimoradas por samurais.

A partir de 1904, o Jiu-Jitsu ganhou novos rumos através de Mitsuyo Maeda (1878-1941), também conhecido como Conde Koma, instrutor da tradicional escola japonesa Kodokan, que saiu em excursão pelo mundo ao lado de outros professores da escola de Jigoro Kano para difundir técnicas de defesa pessoal.

Depois de passar por Estados Unidos, Reino Unido, Bélgica, Espanha, França, México e Cuba, além de apresentações e desafios pela América em países como Costa Rica, El Salvador, Honduras, Panamá, Colômbia, Equador, Peru, Chile e Argentina, em julho de 1914 Conde Koma chegou ao Brasil.

Depois de rodar pelo país, fixou-se em Belém do Pará.

A história do Jiu-Jitsu no Brasil

No Brasil, o franzino japonês, de apenas 1,64m e 68kg, tornou-se amigo de Gastão Gracie, um influente empresário em Belém, que o ajudou a se estabelecer no país.

Como gratidão, Conde Koma ensinou o tradicional Jiu-Jitsu japonês a Carlos Gracie, primogênito de Gastão.

Carlos Gracie (1902–1994) se encantou pela arte quando viu pela primeira vez uma apresentação do japonês, onde ele demonstrava a capacidade de dominar e finalizar os gigantes da região.

Nas aulas de Maeda, além de Carlos. outros brasileiros também aprendiam as técnicas e conceitos da arte suave, como é o caso de Luiz França, que veio mais tarde a formar o mestre Oswaldo Fadda.

Em meio a tantos pioneiros, o mais novo dos irmãos Gracie, Hélio Gracie, foi figura fundamental nesta disseminação da arte.

Franzino, ele era proibido pelo irmão de treinar e ficava apenas observando as aulas.

Um dia, quando o irmão se atrasou para uma aula, Hélio puxou o treino e logo provou que poderia também praticar a modalidade.

Sua coragem, habilidade e inovações técnicas, modificando e adaptando golpes a sua frágil estrutura física, logo o levaram a ser promovido como instrutor da academia.

Carlos teve 21 filhos e 13 deles se tornaram faixas-pretas, o que ajudou ainda mais a propagar a arte.

Ao longo dos anos, os desafios feitos a outras artes aumentaram e os irmãos acumularam vitórias e destaques nos principais jornais da época.

Alunos famosos também ajudavam a aumentar a fama da família e do Jiu-Jitsu.

A arte suave foi se desenvolvendo e crescendo, inclusive com a criação, em 1967, da Federação de Jiu-Jitsu da Guanabara, no Rio de Janeiro.

Jiu-Jitsu brasileiro pelo mundo

Mas foi nos anos 90 que o esporte explodiu.

Rorion Gracie, filho mais velho de Hélio, criou o hoje famoso UFC (Ultimate Fighting Championship).

Outro filho de Hélio, Royce Gracie, foi o grande responsável pela missão de derrotas oponentes de outras modalidades e consolidar de vez o esporte nos Estados Unidos.

No Japão, Rickson Gracie, também filho de Hélio, fez o mesmo ao usar o Jiu-Jitsu para derrotar os seus oponentes no Vale Tudo Japan Open.

No Brasil, Carlson Gracie, filho de Carlos, que manteve o legado de vitórias após a aposentadoria de Hélio, abria as portas de sua academia para alunos menos favorecidos.

Carlos Gracie Jr., filho mais novo de Carlos Gracie, construiu uma das equipes mais conceituadas do Jiu-Jitsu e também foi o responsável por fundar a Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu (CBJJ) e posteriormente a Federação Internacional de Jiu-Jitsu (IBJJF).

Hoje são realizados campeonatos em todo o mundo e milhares de pessoas vivem do Jiu-Jitsu ao redor do globo.

Os benefícios da arte suave

O Jiu-Jitsu tem como fundamento tornar o indivíduo mais seguro e autoconfiante.

Seu aprendizado é recomendado por médicos, psicólogos e educadores, como integrante da educação, paliativo de tensões psíquicas e fator de desenvolvimento físico.

A prática do Jiu-Jitsu estimula as qualidades positivas e intelectualizadas dos indivíduos, exigindo inteligência dos praticantes para consumação dos golpes, pois o Jiu-Jitsu não é apenas uma luta, e sim um sistema de defesa, onde os indivíduos não desenvolvem só habilidades físicas, mas mentais também.

A facilidade do seu aprendizado, aliada a eficiência de sua técnica, colocam hoje em dia a arte suave como o sistema de luta mais procurado no mundo.

A HISTÓRIA DO BOXE

O boxe é uma luta esportiva praticada em diversos países do mundo. Ele faz parte do quadro de esportes da Olimpíada.

Na Antiguidade, antes mesmo das civilizações grega e romana, há indícios arqueológicos que indicam que o homem praticava lutas usando as mãos, desferindo golpes uns contra os outros. Os gregos e romanos também praticavam lutas deste tipo com objetivos esportivos (caso dos gregos) ou de simples diversão (caso dos romanos).

Porém, o boxe, que também é conhecido como pugilismo, só ganhou algumas regras, aproximando-se do que é hoje, no século XVII, no Reino Unido. Foi no ano de 1867, que o uso de luvas e o número de assaltos foram determinados como regras oficiais.

Principais características: 
Para tornar as lutas mais competitivas, as regras do boxe definiram categorias que variam de acordo com o peso do lutador (boxeador ou pugilista).

As lutas profissionais possuem, no máximo, 12 assaltos com 3 minutos cada. Porém, em determinadas competições o número de assaltos pode ser menor. Nas Olimpíadas, por exemplo, são 3 rounds de 3 minutos cada.

No final de cada assalto, os lutadores ganham pontos, que são atribuídos por cinco jurados da luta. Estes pontos, definidos por golpes e defesas, servem para definir o ganhador em caso de a luta chegar até o fim. Quando um lutador consegue derrubar o adversário e este permanece por 10 segundos no chão ou não apresentar condições de continuidade na luta, ela termina por nocaute. A luta também pode terminar se um dos treinadores jogar uma toalha branca no ringue. Este gesto significa desistência do lutador comandado pelo treinador que jogou a toalha.

No boxe, não são permitidos golpes baixos (na linha da cintura ou abaixo dela).

O boxe é um esporte, também considerado arte marcial, que faz parte dos Jogos Pan-Americanos e também das Olimpíadas. Podemos citar como boxeadores que mais fizeram sucesso: Larry Holmes, Muhammad Ali, Sugar Ray Leonard, Oscar de la Hoya, Julio Cesar Chavez e Mike Tyson. No Brasil, podemos destacar Éder Jofre, Adilson “Maguila” Rodrigues e Acelino Popó Freitas.

Os principais golpes

Principais golpes de boxe: os principais golpes de boxe são: cruzado (aplicado na lateral da cabeça do adversário), jab (golpes preparatórios de baixo impacto e rápidos), direto (soco frontal) e upper (também conhecido como gancho, ocorre de baixo para cima atingindo o queixo).

Principais organizações internacionais:

– Associação Mundial de Boxe (AMB)
– Conselho Mundial de Boxe (CMB)
– Federação Internacional de Boxe (FIB)
– Organização Mundial de Boxe (OMB)

A HISTÓRIA DO MUAY-THAI

O Muay Thai é uma luta marcial tailandesa, conhecida como a “luta das 8 armas”. Essas armas são as partes do corpo utilizadas nos golpes: dois cotovelos, dois punhos, dois joelhos e a combinação das duas canelas e dos dois pés.

Também chamado de thai boxe ou boxe tailandês, o Muay Thai utiliza socos, cotoveladas, joelhadas, chutes e técnicas de esquiva e proteção.

O Muay Thai surge como uma técnica de defesa e de guerra, desenvolvida pelos tailandeses para sua proteção e para a defesa do seu território contra os inimigos.

Essa luta se difundiu na Tailândia e, além dos propósitos militares, começou a ser praticada como um esporte. Hoje o Muay Thai tem adeptos no mundo todo e em 2016 tornou-se um esporte olímpico.

Ao longo de sua história, a Tailândia sofreu inúmeros ataques e invasões de inimigos. Para lutar contra essas investidas, os tailandeses começaram a desenvolver técnicas de luta que dariam origem ao Muay Thai.

O Muay Thai era praticado pelo exército e os lutadores obtinham reconhecimento social por dominar a técnica. Os reis tailandeses incentivavam e até mesmo, praticavam a arte marcial. Um dos nomes mais famosos do Muay Thai é Nai Khanom Tom, que havia sido capturado pelos birmaneses quando estes invadiram o território tailandês. Nai Khanom Tom foi desafiado a lutar contra os birmaneses e, com desempenho magnífico, venceu diversas lutas seguidas, ganhando reconhecimento e tornando-se o “pai do Muay Thai”.

Outro nome importante do Muay Thai foi o rei Pra Chao Sua, que governou no início do século XVIII. Ele era um entusiasta da luta e um exímio lutador.

Por volta dos anos 1930 foram definidas regras para o Muay Thai, que começou a se popularizar não somente na Tailândia, mas no mundo todo.

No Muay Thai, os lutadores utilizam os punhos, os cotovelos, os pés e os joelhos para realizar sequências de golpes e defesas em um jogo de ataque e contra-ataque.

Socos (Mhad)
Os socos são os golpes mais comuns do Muay Thai e são realizados com o punho fechado. Existem quatro socos principais:

* Jab: dado com o braço que está na frente, tem como alvo o queixo do adversário
* Direto: dado com o braço de trás, também tem como alvo o queixo
* Cruzado: golpe que visa atingir a lateral da face do adversário
* Uppercut: dado de baixo para cima, visa atingir o queixo

Cotoveladas (Sawk)
As cotoveladas podem ser dadas de várias maneiras, podem atingir a cabeça do adversário pela lateral e também pela frente. Por serem impulsionadas pelos quadris, as cotoveladas podem ser muito violentas e costumam levar ao nocaute quando bem aplicadas.

Chutes (Dteh)
Os chutes no Muay Thai podem ser efetuados com os pés e com as canelas. Podem vir das laterais e acertar as pernas, o abdômen ou a cabeça. Um chute potente pode levar o adversário ao nocaute (knock out).

Joelhadas (Khao)
As joelhadas podem ser aplicadas frontal e lateralmente e podem ser precedidas de um salto. Também são golpes muito potentes, que podem provocar lesões e levar o adversário ao nocaute.

Defesas (Pongkan)
As técnicas de defesa do Muay Thai buscam a proteção contra os golpes do adversário. Para defender-se, os lutadores utilizam os braços, os ombros e as pernas, que servem como escudo.

Equipamentos e proteção
Para proteger-se de lesões, os lutadores de Muay Thai utilizam alguns equipamentos de proteção, como luvas, protetores bucais, caneleiras, bandagens e coquilhas (proteção para área íntima masculina).

Graduação do Muay Thai
Originalmente os lutadores do boxe tailandês não são diferenciados por graduação. No entanto, no Brasil, a classificação dos lutadores por níveis foi estabelecida e, de acordo com a Confederação Brasileira de Muay Thai, é dada da seguinte forma:
* Branca;
* Branca ponta vermelha;
* Vermelha;
* Vermelha ponta azul clara;
* Azul clara;
* Azul clara ponta azul escura;
* Azul escura (instrutor);
* Azul escura ponta preta (instrutor master);
* Preta (professor);
* Preta e branca (Mestre); e
* Preta, branca e vermelha (Grão Mestre).